Anúncio
ORDENAÇÃO

Diocese de Tocantinópolis conta com cinco novos diáconos permanentes

Ordenação foi realizada no Santuário Sagrado Coração de Jesus

31/12/2019 15h22
Por: Redação
Fonte: Rodrigo Martins/Agência Sagrado
152

Dom Giovane Pereira de Melo, bispo da Diocese de Tocantinópolis, Regional Norte 3, celebrou a ordenação de cinco novos diáconos permanentes. Fiéis, amigos e familiares lotaram o Santuário Sagrado Coração de Jesus, em Araguaína/TO, no dia 26 de dezembro, para participar deste momento solene e festivo para a Igreja.

 

“Para a Diocese é um grande ganho, pois os diáconos permanentes são um braço forte no trabalho de evangelização”, declarou o bispo. “Com o auxílio do serviço deles, conseguimos fazer com que a mensagem de Cristo chegue a mais pessoas, por meio da sua Palavra e dos Sacramentos”, completou.

 

O vigário forâneo, Padre Edivaldo Silva, explica que o diácono é o homem da palavra, da mesa e da caridade. “O diácono participa na missão e graça de Cristo, sendo configurado servidor de todos. Portanto, a presença do diácono na Diocese de Tocantinópolis, constitui um importante enriquecimento para a missão da Igreja, sendo responsável por servir, cuidar e ajudar os que mais necessitam, como expressividade do sinal concreto do amor de Deus”.

 

Novos Diáconos Permanentes

A Diocese de Tocantinópolis já contava com três diáconos permanentes, agora passa a ter oito. Os recém-ordenados já iniciaram suas atividades em suas respectivas paróquias.

 

Almeci Texeira Lima- Paróquia São Pedro Apóstolo - Nova Olinda/TO;

Dilson Antônio da Silva - Paróquia São Sebastião – Araguaína/TO;

Glauco Mora Ribeiro - Santuário Sagrado Coração de Jesus – Araguaína/TO;

Werbehtt Alves da Silva - Paróquia Nossa Senhora do Carmo- Carmolândia/TO;

Reinaldo José da Silva - Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Araguaína/TO.

 

Quem pode ser diácono?

O diácono permanente pode ser um homem solteiro, casado ou viúvo e tem quase as mesmas funções que o sacerdote, exceto consagrar a Eucaristia, ministrar o sacramento da unção dos enfermos e atender confissões. No entanto, o diácono pode realizar celebrações religiosas, como batizados e casamentos.

 

Assim como o padre, o diácono é ordenado pelo bispo após concluir o curso de Teologia. São cinco anos de formação, que envolvem ainda temas como Marialogia, Bíblia, Pastoral, Direito Canônico, Sacramentos e sacramentais, dentre outros.

 

Além disso, é preciso ter no mínimo 35 anos. Se for casado, necessita de um consentimento por escrito da esposa e que o matrimônio tenha ocorrido há pelo menos cinco anos. Se receber a ordenação estando solteiro ou viúvo, só poderá casar-se mediante renúncia do diaconato.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.